Pixel Review

Review – Fluffy Horde – Fofura Assassina

 

Ah coelhos. Esses animais orelhudos e fofinhos que todos adoram e são incapazes de fazer mal pra alguém. Bom, pelo menos alguns são assim. Mas não em Fluffy Horde!

O jogo é uma produção nacional do estúdio Turtle Juice, que mistura estratégia e Tower Defense. Você deve defender os reinos de um mago que controla hordas incansáveis de coelhos. E essa é basicamente a extensão da trama. O destaque mesmo pelo humor nonsense e as várias referências a músicas, outros jogos e memes. E a dublagem também faz um ótimo trabalho, principalmente considerando que todas as vozes são feitas pela mesma pessoa. Dos soldados à Princesa Coelho ao Homem Cenoura.

Homem Cenoura cercado de coelhos em Fluffy Horde

A mistura entre TD e estratégia, vem do fato de que grande parte do gameplay envolve criar seu exército para defender suas estruturas ou unidades especiais da horda faminta de coelhos. Porém aqui seus personagens se movimentam pelo mapa, ao invés de serem fixos, como em um Tower Defense tradicional.

Puzzles

Cada uma das fases em Fluffy Horde funciona quase como um quebra-cabeça, com vários objetivos diferentes em cada uma. Algumas vezes, você deverá só eliminar todos os coelhos, em outras escoltar uma princesa até suas amigas. Ou então, limpar o caminho para que uma vaca possa chegar a sua planta e beber leite. (Nós também não entendemos porque uma vaca adulta ainda bebe leite, mas ninguém quis questionar os desenvolvedores).
E a parte interessante aqui, é que quanto mais você avança novas mecânicas aparecem no jogo. Portais teleportam os coelhos de um ponto ao outro, enquanto os multiplicadores criam clones das criaturas, já o Chobo é uma espécie de Kirby anabolizado capaz engolir e cuspir de volta um número incontável de coelhos.

Isso faz com que cada fase pareça um quebra-cabeça, normalmente com múltiplas possibilidades de solução. E todos esses novos elementos são apresentados de forma simples, para então serem re-utilizados em novos níveis de maneiras mais complexas. Em algumas das fases, você deverá até mesmo usar os coelhos como aliados, para derrubar monstros bem maiores. Apesar da grande quantidade de elementos, a dificuldade é muito bem balanceada, evitando que você se sinta frustrado demais por ficar preso em um nível.

Coelhos atacando um monstro gigante feito de doce

PVP

Pra aumentar ainda mais toda a insanidade do pacote, Fluffy Horde ainda conta com um modo multiplayer. Assim como no singleplayer, cada mapa mistura elementos distintos e tem objetivos diferentes. Pode ser uma disputa para destruir os moinhos do adversário, uma corrida para ver qual é a vaca mais rápida, ou um ataque a princesa rival por exemplo. Os jogadores veem a própria área, e só uma silhueta da área do adversário ao fundo, e devem usar habilidades, como lançar coelhos no mapa inimigo, para cumprir seu objetivo. É uma idéia simples, e as partidas são rápidas o suficiente para deixar você sempre querendo jogar só mais uma.

Um dos principais motivos pelo qual eu gosto de jogos independentes é como a criatividade é usada pra compensar a falta de recursos, ou de uma equipe muito grande. E Fluffy Horde transborda criatividade, juntando diversas ideias que parecem totalmente malucas, em um jogo extremamente divertido.

 

Deixe uma resposta